Dúvidas Frequentes

Dúvidas para abrir uma empresa, Imposto de Renda, Pis e COFINS, ICMS, Simples Nacional, Folha de Pagamento e Administração de Condomínios?

Dificuldade de economizar dinheiro está ligada ao desemprego e à perda de poder de compra.
 
Uma pesquisa divulgada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e pelo Serviço de Proteção ao Crédito mostra que a maioria dos brasileiros não consegue guardar dinheiro. Em agosto, 67% dos consumidores não pouparam o salário.
 
A pesquisa ouviu 800 pessoas com idade superior ou igual a 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais em 12 capitais das cinco regiões brasileiras. Os consumidores alegam que:
 
• 40% não guardam porque têm a renda muito baixa, sem nenhuma sobra no final do mês;
• 18% foram surpreendidos por algum imprevisto financeiro;
• 15% tiveram gastos atípicos com reformas, tratamentos médicos ou compras;
• 13% afirmam que perderam o controle sobre os próprios gastos;
 
Contudo, 22% dos entrevistados que disseram ter conseguido poupar parte da renda em agosto, conseguiram guardar em média R$ 546,61.
 
Classe Econômica
Além disso, a pesquisa revela que o ato de não poupar não está ligada somente aos que possuem uma renda menor, mas também, aos que possuem renda maior.
 
Confira a porcentagem das pessoas que não pouparam de acordo com as classes:
 
• C, D e E: 71%
• A e B: 54%.
 
De acordo com o economista Jair Casquel Junior, guardar dinheiro depende muito do padrão de vida, renda, perfil de comportamento e até condição de vida que as pessoas têm a curto, médio e longo prazo.
 
"Se a pessoa vem de um padrão mais alto e teve queda de renda, até se ajustar a nova realidade vai ter dificuldade. Por outro lado, quando a pessoa ganha menos que o mínimo necessário, não tem como guardar dinheiro. Tem hora que é impossível ter uma sobra porque o ganho é inferior ao custo de manutenção da vida", explica Jair.
 
O economista reitera ainda que é preciso lembrar que contrair uma dívida é comprometer uma renda futura.
 
"Existem duas situações: pessoas que não conseguem guardar por insuficiência de dinheiro e as que não tem o menor controle e tem a condição de consumo muitas vezes incompatível com o próprio salário."
 
Poupança
O levantamento aponta ainda que o principal destino do dinheiro poupado pelos brasileiros continua sendo a caderneta de poupança, citada por 66% dos entrevistados.
 
Para Jair Casquel Junior, a escolha é uma boa opção para quem tem pouco dinheiro guardado. "A caderneta de poupança é mais fácil, rende pouquinho, mas é mais seguro. A hora que precisar, o dinheiro está lá."
 
Outras modalidades mais sofisticadas como o tesouro direto e CDBs foram citados por 11% e 9%, respectivamente.
 
"Pessoas que tem perfil de mais risco, podem aplicar na bolsa de valores quando já tem uma quantia maior pra aplicar", conclui.
 
 
 
 

Derg - Contabilidade e Gestão de Condomínios

(11) 2284-3030

Rua General Bitencourt, 160 - 1º Andar - Centro - Osasco - SP

FALE CONOSCO